Doutorado: Evolução de Galáxias em Aglomerados

Data: 
10/12/2018 - 14:00
Local: 
Sala 15 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de tese de doutorado
Aluno: Rafael Ruggiero
Programa: Astronomia
Título: Evolução de Galáxias em Aglomerados

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Gastão Cesar Bierrenbach Lima Neto – IAG/USP
2) Prof. Dr. Eduardo Serra Cypriano – IAG/USP
3) Prof. Dr. Ronaldo Eustaquio de Souza – IAG/USP
4) Prof. Dr. Hugo Vicente Capelato - INPE/ São Jose dos Campos-SP
5) Prof. Dr. Diego Antonio Falceta Gonçalves –EACH/USP
6) Profa. Dra. Patricia Beatriz Tissera – UNAB/Chile - por videoconferência
 
 
Resumo
Nesta tese, nós visamos a contribuir para o entendimento do fenômeno da evolução de galáxias no ambiente de aglomerados de galáxias usando a metodologia de simulações numéricas. Para isso, desenvolvemos modelos hidrodinâmicos nos quais galáxias idealizadas ricas em gás movem-se em meio ao gás difuso de aglomerados de galáxias idealizados, permitindo um estudo detalhado e controlado da evolução destas galáxias neste ambiente extremo. O código usado em nossas simulações é o ramses, e nossos resultados tratam das mudanças em composição do gás, taxa de formação estelar, luminosidade e cor de galáxias caindo em aglomerados. Adicionalmente a processos acontecendo dentro das próprias galáxias, nós também descrevemos a dinâmica do gás que é varrido dessas galáxias com resolução sem precedentes para simulações dessa natureza (122 pc em uma caixa incluindo um aglomerado de 10¹⁴ M⊙ inteiro), encontrando que aglomerados de gás molecular são formados nas caudas de galáxias que passaram por varrimento de gás por pressão de arraste, aglomerados esses que procedem a viver em isolamento em meio ao gás difuso de um aglomerado de galáxias por até 300 Myr. Esses aglomerados moleculares possivelmente representam uma nova classe de objetos; objetos similares foram previamente observados tanto em aglomerados quanto em grupos de galáxias, mas um tratamento compreensivo deles não foi apresentado até agora. Nós adicionalmente criamos um modelo hidrodinâmico para o sistema multi-aglomerado A901/2, e correlacionamos as condições do gás nesse modelo com a localização de uma amostra de galáxias jellyfish nesse sistema; isso nos permitiu inferir um possível mecanismo para a geração de morfologias jellyfish em colisões de aglomerados de galáxias em geral.